sábado, 29 de novembro de 2008

Vejo muito de mim no meu filho

Lembro-me de quando entendi pela primeira vez o significado das letras do meu nome e o porquê de serem escritas exatamente naquela ordem. A experiência da leitura trouxe um mundo novo para mim. Eu tinha cinco anos, mas guardo viva até hoje a excitação, a euforia, por conseguir conectar-me à existência de um mundo de significados milenar.

Como aluna sempre fui ótima: nota dez, c.d.f., aluna-exemplo. Minha maior dificuldade não eram as matérias e sim o horário, afinal acordar cedo e andar debaixo de sol nunca foram meus hobbies prediletos.

No primário fui a terceira melhor aluna, com direito a homenagens. No ginásio, a segunda melhor, e recebi até medalha. Formei-me no ensino médio como a número um do colégio; mas então, ironicamente, isso já não fazia diferença para mim.

Minha prima, uma série acima da minha, só aprendia matemática comigo. Não sei explicar como eu conseguia fazer aquilo, mas bastava eu ler o livro dela, olhar os exemplos e pronto! Toda a complicação da lógica, da física ou de qualquer outra disciplina tornava-se simples na minha cabeça! Eu não só era capaz de aprender sozinha matérias de séries mais adiantadas [mesmo sem tê-las estudado na escola] como também era capaz de fazer qualquer um entender a matéria que fosse!

A faculdade? Pública! Passei na primeira tentativa sem ter feito pré-vestibular em uma época em que ainda não se falavam em cotas. Repetência? Só por falta! Mesmo assim no estágio e em virtude da correria com os preparativos para o casamento.

Por mais que muitos de vocês me digam que este currículo é o máximo, eu na maioria das vezes me sentia um E.T. afastado de sua terra-natal. A situação que mais clara e duramente explicitou isso foi certa vez em que, na adolescência, estávamos os jovens reunidos na praça local como sempre fazíamos aos finais de semana. Eu, que sempre tive uma queda por gramática e linguagem, fazia - por opção - o uso do português correto em todas as suas ênclises, plurais e regências.

Falava assim não para me mostrar. Falava certo porque gostava, porque estava na regra e àquela época - ingênua - eu ainda acreditava que toda regra era para ser seguida.

Mas então, à certa altura, aconteceu de eu chegar na roda de conversa e um senhor que debatia entusiasticamente se calar. Aconteceu com ele, depois com outros. Logo descobri que as pessoas, diante do meu modo de falar, sentiam vergonha de seus vocabulários.

Nenhum de vocês poderá entender o que perceber isso significou para mim. Foi ali que descobri o real sentido da palavra c-o-m-u-n-i-c-a-ç-ã-o. Ironicamente, para me comunicar as gírias tinham que fazer parte do meu linguajar.

Carreguei, desde que me entendo por gente, o estigma de “inteligente”. A Ellen, diziam quase todos, vai chegar longe! E por me sentir um E.T. perdido na terra quase sempre eu tinha vergonha de contar os meus êxitos. Somente quem já viveu como o centro das atenções sabe dar o devido valor à discrição. Era o meu caso. Vestibular, concurso público... a cada aprovação uma sensação de receio, parecia a confirmação de que eu não viera deste planeta, sentia-me ilhada...

Hoje, quando vejo as peripécias do meu filho, tão novo, tão surpreendentemente inteligente, uma perspicácia quase anormal para sua idade, o filme da minha vida passa inteiriço pela minha cabeça.

Vejo muito de mim no meu filho... em alguns momentos vejo repetir nos outros a mesma falta de estrutura para lidar com tal situação. Só espero que eu, por ter sentido na pele essa experiência, possa convencer a mim mesma que inteligência não é um defeito, porque por anos a fio tive a impressão de que todo aquele isolamento era uma forma sutil e incoerente de ser castigada. Hoje entendo que não, afinal a história da humanidade não termina em mim.

Vejo muito de mim no meu filho...
Talvez por isso eu consiga no futuro melhor orientá-lo.

Comentários
53 Comentários

53 comentários :

gilgomex disse...

Minha filha ainda está com 5 meses. Mas eu já acho a pequenina muito esperta para seus poucos meses de vida. E não é só corujisse de pai, pois eu vejo outras crianças com a mesma idade que não têm a mesma firmeza no olhar, nas pernas, nos movimentos... Ela é muito inteligente... Com certeza puxou à mãe... rs.

Eu sempre fui bom aluno. Nunca fui exatamente CDF por preguiça mesmo. Passei num vestibular para facul pública também na primeira tentativa (sem ter pelo menos pegado um livro para estudar) em 6º lugar.
Não concluí o curso de letras. Há poucos dias fiz outro vestibular, esse para facul particular, Comunicação Social - Rádio e TV. Como já trabalho na área, fica mais fácil.
(Eu espero.)

Diógenis disse...

Owwww ! ;D
Parabéénss. Gosteeei !
Hoje em dia são poucas as pessoas que falam corretamente. Eu gosto, mas não falo, porque é estranho para os outros. Mas isso foi um dos pontos que você abordo.

Enfim, se ele seguir teus passos, com certeza vai se dar bem na vida e irá escrever muito bem. Terá uma ótima "professora" ;)

www.fator-d.blogspot.com
passa lá !

Sabrina Andrade disse...

muito legal o texto (opa, testos) todos bem legais, adorei!

Beijo

http://mundoplancton.blogspot.com/

Claudemir disse...

Nossa, muito interessante seu texto. Bom na minha opinião o ideal é falar correto, porém assim como na vida real, como no português não devemos levar as coisas a sério, no pé da letra se não você se sentirá um peixe fora dágua...

Ainda bem que você já tewm experiência nese assunto e poderá auxiliar seu filho tbm..Abraço e boa sorte com ele.

Taynara disse...

Simplismente adorei.
Quem me dera ser como você! Nunca fui a melhor aluna, nem a segunda, ou a terceira. Sempre gostei de falar e escrever corretamente, porém, ao te ver escrever, vejo que eu ainda tenho MUITO a aprender. Sorte do seu filho, ser igual a você! Certamente dará uma bela base a ele, com tamanha inteligência. Adorei.
Um super beijo, :*

ps: não me admira quantas visitas você tem, é uma quantia deveras merecida.

Thatha disse...

Legal o seu texto...
eu não sou uma aluna exemplar mais tbm não sou das piores...rsrs

André disse...

ter o estigma de inteligente nao quer dizer sucesso na vida profissional - inteligencia atrapalha e muito...muitas pessoas tem medo...eu nao fui nenhum genio e ja sofri preconceito dos menos favorecidos...se quiser dar uma cruzada la pelo blog, por coincidencia tem um texto que fala de ignorancia e sucesso. um grande abraço deste humilde blogueiro e espero que este comentario tenha sido proveitoso.

"Seu futuro depende de seus sonhos. Então, vá dormir! "

Maíra Charken disse...

Que lindo! Acho o máximo a diferença entre as pessoas. Você tem mais é que lapidar todos os seus "skills" e passar suas experiências a seu filho. Parabéns!

Homenzinho de Barba Mal feita disse...

Espero não ver muito de mim em meu filho. Sempre fui um dos piores alunos da sala, só passav na matéria de matemática, graças as "colas" de meus amigos.
Eu também era isolado. Uma que eu não era engraçado, não era bonito, não era idiota e também não era bonito. Daí ficava sempre isolado, junto com outros isolados. Só na 7° série que começou a mudar, pois eu me tornei engraçado, e consegui entrar para o clube dos bagunceiros da sala.
Me formo esse ano em Marketing, também não fui um exemplo de aluno.
Como já dizia Nietzshie: "Aquilo que não mata, fortalece". Como era isolado, comecei a desenvolver a inteligência, lendo quase que compulsivamente. Hoje não sou idiota, sou considerado até inteligente e engraçado, mas o isolamento e minhaburrice foram o preço que eu paguei...

Pronto desabefei...rsrs


http://hdebarbamalfeita.blogspot.com/

J.F. Marques disse...

Bem interessante seu texto. Mas você nem precisava ter se sentido um E.T. pois falar certo não é crime. Porém sei como é existem várias pessoas que critícam outras por falar tão corretamente. Eu não falo tudo certinho, na risca. Falo com gírias e as vezes erro no meu modo de colocar as coisas, mas isso faz parte também e nem por isso me sinto um E.T..
Quanto ao seu filho você poderá orientar ele melhor com certaza, por ter passado por isso e por ter uma certa inteligência como falou no texto.
Parabéns.

Lari disse...

Pelo menos você não vai precisar ficar louca porque ele não quer estudar e está a beira de repetir de ano! Acho a inteligência uma dádiva...meu Deus, como eu queria ser MUITO inteligente! O importante é saber 'conciliar' a inteligência e o meio que o cerca, a sociedade moderna!

Boa sorte!

www.lari-landia.blogspot.com
http://www.macumbaonline.com/Fortalecer-c63ec259647fbdde096cb96c51ee7062/ - Aproveita e ajuda a fortalecer minha e-macumba!

;**

HoneyBee disse...

Eu nem sei se vejo muito de mim em mim. Tem horas que nem me reconheço mais!

Cleidemar disse...

Pode ser, mas não esqueça de que ele é ele, e tem a vida dele e terá que tomar as decições e viver a vida dele , assim como vc viveu a sua, sem que alguem lhe tome pelas redias e o puxe....seu sentimento é bom , mas é uma linha tenue que divide isso de uma atitude de tentar fazer dele aquilo q vc nao conseguiu ser...

Lica disse...

Nossa,gostei muito do seu texto.Me identifiquei bastante com ele.
Eu também carrego esse "estigma" de inteligente,desde q me dou como gente.E as vezes,isso me incomoda,pq é como se eu nunca falhasse,ñ tivesse defeitos....
E sobre o vocabulário hj em dia,nossa,tá kda vez pior....

Mto bom o seu blog... :D

Tiago Sant'Ana disse...

Bom texto!

Eu também fui assim durante minha vida inteira. E agora na faculdade tem acontecido a mesma coisa. Mas tento me "adequar" às situações mais adversas - mesmo sabendo que aquele é um eu que na verdade não corresponde ao verdadeiro Tiago existente dentro de mim.

Enfim. Isso é tema para um texto lá no meu cantinho calórico! hahaha

Bom blog!

Tiago Sant'Ana
www.jornalistadepeso.blogspot.com

Tiago Sant'Ana disse...

blog adicionado ao "cardápio preferido" lá no "Jornalista de peso"

Tiago Sant'Ana
www.jornalistadepeso.blogspot.com

┼ Ģℓэн εïз єяเkล! ┼ disse...

Eu também já me senti um et, por me sair melhor vezes q meus colegas. Sempre fui isolada por causa disso!
Não tenho filhos ainda, mas vejo em minha irmã, a mesma maneira de raciocinar que tenha naidade dela, ela também adquiriu.

verossimel disse...

Exceletne texto!!!

nunca fui CDF confesso que tenho mta admiraçao por quem é ou ja foi]
tssrsr

Wander Veroni disse...

Oi, Ellen!

Fui lendo o seu relato e lembrei um pouco de mim no seu texto...rs. Sem trocadilho infame. Não, eu ainda não tenho filhos. Tirando essa parte, sempre fui bom aluno. Não para me gabar, mas pq eu sinto prazer em estudar e em aprender. Sempre foi assim, desde que entrei na pré-escola até hoje.

Sou sistemático, gosto de organização e de tudo bem feito. sabe quando vc estuda por prazer? Então, na faculdade de jornalismo eu fechava um monte de matéria por amar o meu curso a ponto de me dedicar ao máximo para entender todas as nuances da profissão.

Toda conquista vem de esforço e luta. As pessoas esquecem disso...acha que vc conseguiu algo num passe de mágica! Quem dera! O mundo real exige esforço e dedicação.

Do fundo do coração, espero que seu filho brilhe e seja tão bom de texto quanto a mãe...hehehe.

Abraço,

=]

-------------------
http://cafecomnoticias.blogspot.com

Trujillo disse...

Lindo texto. O modo como vc escreve, as palavras que vc escolhe. E como se pulando de uma nuvem em outra. Leve e tranquila. O conteudo esta muito bom. A discricao eh uma dadiva quando a entendemos e aprendemos a aprecia-la.
Abrcs
Trujillo

Internet Tecnologica disse...

legal o texto gostei parabens

Marcelo Lima
http://internettecnologica.blogspot.com
http://marcelinhooo.hd1.com.br
http://suportesouza.hd1.com.br

rosangela disse...

Como sempre adorei o seu texto.

Deve ser pra lá de emocionante isso que vc consegue indetificar no seu filho, ver atitudes, inteligencia etc... etc.. caracteristicas sua .. eu tb quero sentir e ver isso .. "um dia" .. rsrs

Bjs .. ótima semana.

Flá Romani disse...

É a segunda vez que venho aqui no seu blog, pelo que me lembro

gosteiiiii

verossimel disse...

Ops...
comentando novamente agora pra expressar que QUERO UM FILHO ...

Miriã Soares disse...

Não sou inteligente, somente tenho capacidade de armazenar conhecimento.
Tenho boa memória, o que faz com me achem sabia, mas tenho discalculia...

http://mdiversidades.blogspot.com/

Bruno disse...

Muito bom o texto!

Marcel disse...

Ellen, adoro os seus textos. Gosto deles de graça. Venho aqui por vontade própria, por deleite.

Vejo um pouquinho de mim neste seu texto.

Seu filho será brilhante, se Deus quiser.

Obrigado!

Jú ; disse...

oin.. Que fofa você!
*.*

www.quadrado-magico.blogspot.com

Arthur Santana disse...

q curso vc fez?
eu tenho uma hst igual...aluno bom, faculdade publica de primeira...
me incomodava com os outros falando 'errado', mas por fazer letras percebi que a lingua é muito rica e q não há problema nenhum, nos momentos apropriados obviamente, fazer o uso de uma dessas variações anteriormente tão incomodas...
gostei do texto!

--
www.moolegal.wordpress.com

Lucas M. disse...

apesar de simples,bem interessante,escrever sobre o dia-dia em mais dificil do que passar sobre ele

Tiago Cervo disse...

As vezes quando falo o português correto, com as palavras certas e sem gírias, sinto como se estivesse ofendendo as pessoas. Muita gente não gosta, prefere viver na ignorâcia a tentar aprender um pouco.

Mas fazer o que o ser humano é um ser ignorante por natureza.

Parabens pelo artigo.

Abraço

rosangela disse...

Ola olha eu de novo apreciando o seu blog ..

Bjs ..

Esconderijo disse...

Gostei muito do texto e da forma como você tem clareza para descrever suas idéias. Brilhante o tema também. Ter um filho deve ser o ápice da vida.

Um abraço>

http://escondidin.blogspot.com/

30 e poucos anos. disse...

Viu como muita gente se identificou com seu texto ???

Acredite em vc !!!
Eu acredito ... !!

Bjs

Herbert disse...

POxa que ótimo texto..sou um pouco sofisticado com as palavras...mas apenas com pessoal que usam a linguagem sofisticado..no meio dos meus maigos falo de qualquer jeito mesmo..rsrsrs

Dani Uzeda disse...

Acho que o isolamento partiu de vc mesma. nao sei. Sempre fui aluna exemplar, e tb ouvia vc é inteligente e tal. E em rodas de conversas, não me inibia ao falar correto, e sim tentava ensinar aos outros o certo. Sem ser chata, ne? Sempre com educacao e com uma boa dose de humor, pois assim as pessoas aceitam melhor as correcoes. Correcoes estas, que nao me furto em fazer sempre que possivel. Tenho panico de gente falando errado perto de sim. Se eu puder ensinar, pq nao? Q bom que o seu filho segue o mesmo caminho. Tomara que ele saiba lidar melhor com o dom da inteligencia, pq nao é para qq um! Bjuu

Guilherme Santos disse...

belo texto
parabens
sempre escrevendo bem

Sabrina Andrade disse...

muito bons seus textos

HoneyBee disse...

Sem contar que seu filho é um gato! lindo! rs

Millena'Bezerra disse...

Eu sou filha e me acuso freqüentemente por mostrar tanto do meu pai..

O texto ficou muito bom..
(um pouco extenso...

A'ZaF disse...

moça...deixei um selo pra você no meu blog, se quiser passar por lá pra ver:

http://paranoiaelucidez.blogspot.com/2008/12/o-primeiro-selinho.html


blog demais, como sempre falei...bjim ;**

calango azedo disse...

q blog lindo

Choujitops disse...

Oi.... seu blog e otimo gosto muito daki!!!

marceloclash disse...

Filhos costumam ter muito dos pais mesmo, se não tivessem não seriam filhos. Gostei do texto.

http://papodomarcelo.blogspot.com/

Amisadai disse...

gostei do seu blog

parabéns

Alexandre disse...

Belíssimo post.
Mas é gratificante ver um pouco de nós, a parte boa, em nossos filhos...A vida fica mais alegre.

calango azedo disse...

olha eu aki

verossimel disse...

muito bom....

ja comentei anteriormente

Blog Conspiracy disse...

Adorei o texto,
Poucas pessoas falam corretamente o português...
ótimo blog !

TIAGÃO disse...

me identifiquei demais com seu texto, que esta otimo!
parabéns!

Deka disse...

Belíssimo blog, serei leitora assídua...
Sobre este post digo que, filhos são reflexos das coisas boas de nosso íntimo.
Abraço.

LADY DARK ANGEL disse...

parabens pelo texto
vejo q o blog esta popular

Marcel disse...

Bom, acho que me confundi aqui.
Realmente pensei que este post era verídico, mas pelo que vc disse no seu último...

Vacilei. Desculpe-me.

Sejam bem-vindos ao facetas!

................TODOS OS TEXTOS DESSE BLOG SÃO AUTORAIS............

Resolvi utilizar este espaço para divulgação de trechos de alguns trabalhos meus... Espero que vocês apreciem. Críticas e comentários serão muito bem-vindos, sobretudo críticas!

Se você já leu o texto acima não fique tímido: fique à vontade para comentar em outras postagens!