sexta-feira, 5 de setembro de 2008

Hélices e marquises

Vi um homem que não tinha casa, morava num cubículo cujas dimensões minúsculas não podiam ser maiores do que 2m x 1,5m. A porta, estreita, só abria para fora. E o homem passava quase todo o dia sentado à porta aberta num banquinho com hélices de ventilador na mão. É que o tal cubículo também era um depósito de ventiladores quebrados e peças. Ao que parece o conserto desses aparelhos era sua principal fonte de renda. Não sei como a física permitia tantas coisas ocupando o mesmo espaço, mas ele não reclamava, pelo contrário, dava graças a Deus por ter onde guardar suas hélices e motores.

Eu, intrigada, me perguntava se de fato ele conseguia dormir naquele espaço tão pequeno, sem ventilação, frio e desconfortável. O desconforto em que vivia aquele homem me incomodava diariamente, durante, pelo menos, os quinze segundos em que me deparava com ele.

Pois uma noite, voltando para casa, vi o sujeito preparando a coberta debaixo da marquise e me perguntei: o que leva uma pessoa a abrir mão da própria proteção em nome da segurança de hélices e motores? Percebi de súbito a esperteza do homem e minha hipocrisia. Afinal, quem iria querer dormir numa cela solitária se mesmo os presidiários em cárceres superlotados fogem dela? Até porque tal homem, tão sábio, sabe que sua vida não vale nada exceto para si próprio, mas suas peças... vocês sabem...

Algum desocupado inventou que o trabalho dignifica o homem.
O mais triste de tudo é que aquele homem tenha acreditado.
Comentários
26 Comentários

26 comentários :

Lu disse...

Por quê não acreditar que - O TRABALHO DIGNIFICA O HOMEM?
Por quê estar em condições subumanas?
O que será que o narrador está pensando?
Será que o narrador pensa como nós... OPA! ... como eu? Desculpe... afinal achei que este era um certo provérbio!... Porém já me ponho em dúvidas já que os significados são um tanto... particulares!
Tô eu aqui queimando a mufa... congecturando mais uma vez! Só você mesmo, Mana.
Parabéns pela reflexão! Bem!!!!! Foi o que significou pra mim, né!?

beijos

Levi Ventura disse...

Como você encerra o texto é bastante reflexivo, parabéns, gostaria de te recomendar um blog de outra grande escritora como você que é o da Daniele Vieira
http://www.sobrefatalismos.blogspot.com
Se der entra e diz que foi o LEvi Ventura que indicou.
Parabéns pelo seu trabalho

Fernando Gomes disse...

gostei das descrições.
dá pra imaginar toda a cena.
foi muito bem nesse texto.

e a reflexão está muito boa também.

Blog Esponja disse...

É, até mesmo quem não tem nada da valor as coisas materiais.
Até mesmo ele que não tem as mínimas condições de vida protegem o pouco ou quase nada que tem na vida.

DuDu Magalhães disse...

Dar valor ao que é superficial? esse foi a mensagem do seu texto? ou viajei mesmo :S

30 e poucos anos. disse...

O que dignifica o homem é seu próprio carater . . . é o homem com H maiúsculo que faz seu mundo bem melhor.

Miss K disse...

dignifica se o homem trabalha honestamente. por mais q o nosso país nãp reconheça isso na maioria das vezes a vida não pode ser tão ruim assim a ponto de acreditar q td eh tão pobre qnto o ser humano...pq o homem não dignifica o homem.

Karla Hack disse...

Primeiro.. linda tua foto do layout!!
Quanto ao texto.. gostei muito..
Reflexivo e cativante...
A liberdade que ele vivenciava a noite foi uma ótima forma de encerrrar!
Parabéns.. é difícil encontrar blogs tão interessantes quanto o seu!

;D

bjus

Tatiana C. Mendes disse...

É... o desfecho foi bem interessante e bastante reflexivo. Na realidade, as hélices, bem como o trabalho com elas, valiam mais que a sua própria vida... É.. Pobre homem, ou... nem tanto.

Abraços,
Tatiana C. Mendes

http://tanaboca-dopovo.blogspot.com

niagarafools disse...

O trabalho dignifica sim o homem, mas só quando seus resultados são traduzidos em melhores condições de vida pra ele e sua família.
Esse trabalho que humilha, que oprime, que frustra não é nem de longe aquilo a que se referia o provérbio.
Hoje, vemos esse "trabalho" como o único em quase todas as cidades e sua imensidão de favelas e tristezas.
É uma pena que o mundo tenha acabado nisso.

Márcio Ribeiro disse...

Pois é, como que um trabalho dignifica, se temos milhares de trabalhadores que ao final do mês não tem dinheiro nem pra comprar um botijão de gás, pagar uma conta de luz, comprar algo superflo pra colocar na geladeira. O provérbio "o trabalho dignifica o homem", ao meu ver esta um pouco ultrapassado, pois temos muitos trabalhadores que não vivem com o minimo pra ter uma vida digna.

http://comideiaseideais.blogspot.com

GUILHERME PIÃO disse...

Belo texto, gostei, dá para refletir....o que realmente queremos da vida...
Abraços e continue assim.

Leonardo disse...

Bonito texto....
Reflexivo..

Abraços!

Eduardo Fernandes disse...

Uma narrativa interessante. Há uma forte introspecção filosófica. O final do texto é confuso, nos suscita dúvidas de qual a intenção da autora, no entanto, a ambigüidade as vezes é bem-vinda.

Parabéns

jαnα ¦D disse...

É, eu concordo com a pessoa que disse que, o que dignifica o homem é o seu caráter.
Ótimo texto, a mensagem que ele nos passa é magnífica.

Abraços
='-'=

http://nerdezasaleatorias.blogspot.com/

KitFisto21 disse...

nossa, lindo o seu texto...
muito bem escrito!

e essa parte, "Algum desocupado inventou que o trabalho dignifica o homem.
O mais triste de tudo é que aquele homem tenha acreditado." fecha o texto com chave de ouro e abre uma reflexão muito interessante...

abraços, ótimo blog (vou dar mais uma volta agora...)

Lucas Soares disse...

Interessante.
Demonstra as péssimas condições de trabalho a que muitos sã submetidos!
Deprimente.
Mas ainda bem que ele não sofre com isso!
=)

http://esperaemdeus.blogspot.com/

Ghosturbo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
thais disse...

Eu não dou tanto valor as coisas como esse homem dá as hélices e tals..
Eu gostei dessa reflexão

Ghosturbo disse...

Caraca, eu não dormiria de foda a minha casa para guardar seja lá o que for. O negocio tem que ser que nem coração de mãe, se não tem espaço, coloca o colchão em cima dos motores e pego no sono.


http://blogdoignorante.blogspot.com/
Uma opinião ignorante sobre tudo.

victor disse...

parabens
otimo texto!!!
:D

Jéssica Torres disse...

Ótima narração, ótima sementinha plantada no íntimo de quem!
Mas eu acredito sim que o trabalho dignifica o homem, porém, não acho que seja o único meio. E afinal de contas cada atribue o valor que bem entende à própria vida, não cabe a terceiros julgar

Karina disse...

Também gostei muito do seu blog!
Podemos fazer uma parceria; eu divulgo o seu nos meus blogs amigos e se você quiser, divulga o meu! Assim ambas ampliamos nossa divulgação (também sonho publicar um livro, hehe).

Um grande beijo e seja muito bem-vinda!

www.chamkli.blogspot.com

Gomiboy disse...

o mais triste, é que quase todo mundo acredita que o trabalho dignifica o homem.
assim como é triste que tantos acreditem que com coisas sérias e verdadeiras não se deve brincar.
assim como tantos acreditem que quem ri não deve ser levado muito a sério. Por que a vida é dura.
que diversão é para crianças ou deve ser praticada moderadamente somente aos finais de semana.
é triste que as pessoas achem que o mundo deve ser tão cinza.

Guilherme Amado disse...

Sempre duvidei que o trabalho dignificasse o homem. Invenção do capitalismo, a divisão internacional do trabalho não seria, na verdade, a perda da dignidade humana?

diom_carlos disse...

É verdade, esta história sobre "trabalho e dignidade" não passa de uma ideologia imposta para que a sociedade continue como é: os ricos ficando mais ricos, os pobres ficando mais pobres.

Sejam bem-vindos ao facetas!

................TODOS OS TEXTOS DESSE BLOG SÃO AUTORAIS............

Resolvi utilizar este espaço para divulgação de trechos de alguns trabalhos meus... Espero que vocês apreciem. Críticas e comentários serão muito bem-vindos, sobretudo críticas!

Se você já leu o texto acima não fique tímido: fique à vontade para comentar em outras postagens!