quinta-feira, 25 de dezembro de 2008

O efêmero

Desde muito novo Aurora acostumara seu filho a dormir em seu próprio quarto com alguns brinquedos. Lera em uma revista que oferecer às crianças bonecos como companhia ao sono é um excelente estímulo à independência emocional. Só tomava o cuidado de não repetir sempre os mesmos, para evitar costumes incômodos, por isso vez em quando revezava entre carrinhos, ursos e bonecos. No mais, a rotina à hora do sono pouco variava [quase] todo santo dia:

- Posso dormir com os carrinhos de hot wheels, mãe?

- Sim. Quais?

- O verde e o azul... – o menino respondeu bocejando - posso dormir com a pista também?

- A pista não.

- Vou poder brincar com a pista quando acordar?

- Amanhã de manhã, querido. Mas agora é hora de dormir. – Aurora deu quatro beijos no filho, um em cada extremidade do rosto como se fossem pontos cardeais - boa noite!

[...]


Então veio o Natal:

- Mãe! Pai! Posso dormir com meu carro vermelho de controle remoto super novo?

- É claro! Só nos deixe fazer uma coisinha antes... – disse o pai enquanto Aurora cuidadosamente retirava as pilhas do brinquedo, guardando-as na gaveta. Cobriu o menino, deu-lhe um beijo carinhoso na testa e sentou-se à cama.

- Espero que tenha gostado do seu Natal.

- Adorei!

- E da festa?

O menino acenou afirmativamente com um largo sorriso na boca e os olhos brilhando de excitação enquanto admirava o novo brinquedo. A mãe, percebendo o entusiasmo, perguntou:

- Papai Noel acertou no presente?

- SIIIIM! - alteou a voz ainda agitado. A mãe sorriu. Ali estava sua recompensa por ter assumido tantas prestações, afinal tal brinquedo não fora nem um pouco barato.

- Boa noite, querido. Seus pais te amam muito!

- Também amo vocês!

Ambos, pai e mãe, deram mais um beijo no pequeno, depois em seu nariz, e fizeram menção de levantar da beirada.

- Mãe? Pai? - o menino segurou-lhes a mão.

- Diga, filhote!

- Fale, meu anjo!

- Posso brincar com o carro quando acordar?

- É claro!

- Com certeza!

- Eu nem queria dormir hoje de tanto que gostei dele. Queria só ficar brincando!

- Nada disso! Todos nós precisamos descansar. Boa noite!

- Terá tempo de sobra pra isso amanhã. Boa noite!

No dia seguinte chegaram os tios e os outros avós - todos para ver o garoto - e cada um dos que apareciam em visita trazia um novo brinquedo para dá-lo.

[...]

- Mãe, deixe-me dormir com todos os presentes de Natal?

- Todos não. Terá que escolher somente dois.

- Pode ser o boneco-lutador que lança raios?

- Sim. E tem direito a mais um – Aurora, presumindo que escolheria o carro vermelho de controle remoto, adiantou-se e estendeu o brinquedo.

- Não... queria dormir com o quebra-cabeças, aquele que o vovô me deu...

- Se dormir com o quebra-cabeças pode estragar e perder as peças.

- Tá... - concordou contra a vontade - Fico só com o boneco!

[...]

Durante todo o dia seguinte o menino não se distanciou nem um só segundo dos novos brinquedos. Até para o banheiro os levava. Foi preciso muita perseverança para explicá-lo que o carro vermelho teria uma pane caso alguém o submergisse na banheira, mas a química, com suas ferrugens e curto-circuitos, era assunto complexo demais para um menino tão pequeno.

Então, depois das festas:

- Mãe, pode pegar um brinquedo para eu dormir?

Ela buscou nas prateleiras o boneco-lutador e o ofereceu.

- Não, esse não!

- Quer aquele com controle remoto?

- Não, né, mãe? - disse impaciente, como se estivesse explicando a coisa mais óbvia do universo - Eu brinquei o dia inteiro com ele...

- Qual você escolhe então, rapazinho?

O menino apontou para a gaveta mais alta da cômoda. Aurora, vendo o que havia dentro, sorriu, como se já esperasse.

- Qual deles?

- O verde e o azul...

Aurora beijou-lhe com um sorriso enviesado. Sequer havia pago a primeira parcela do carrinho e o menino já havia cansado dele.

- Mas nada de pista, heim?

Comentários
46 Comentários

46 comentários :

HoneyBee disse...

O pior é que quando crescemos as coisas não mudam tanto... a gente luta muito para conseguir algo que no final das contas, vemos que não era bem isso que queríamos. Eu me sinto assim com frequência... rs

Marcel disse...

Agora eu fiquei com saudade da minha marreta do Chapolim Colorado... =[

Livia Queiroz disse...

Hahaha Crianças!!!

LEmbrei-me da minha boneca predileta: Uma boneca de pano que minha vó fez pra mim...
E entre tantas que eu tinha, era a única que eu gostava de dormir, embora ela sempre acabasse caindo da cama por conta do meu "mau dormir" rsrsrsrsr

Saudades desse tempo!
Do tempo em que as coisas mais simples chamavam mais atenção

Thomaz Ribeiro disse...

Fazer o quê, a vida é composta destes pequenos gestos, que no entanto, são inesquecíveis.
Abraços.

Bode Espiatório disse...

Olá Regina! Faz algum tempo que não comento aqui, devido as provas da faculdade e agora das férias, mas não poderia ter blog melhor pra eu fazer meu primeiro comentário nestas férias.

Em relação ao post, fica evidente que criança gosta de novidade, e mesmo tratando-se de um brinquedo mais caro, na inocência de uma criança, torna-se igual.

Agora, o triste é quando saimos um pouco do panorama de sua história, e nos remetemos a realidade, onde milhares de crianças no Brasil, não ganharam sequer, o mais simples brinquedo ... Dura essa realidade né?

Um feliz 2009 !

www.comideiaseideais.blogspot.com

luis fernando disse...

Criança mimada! O erro foi deixar a criança mergulhar no mundo material. A mãe achou que poderia comprar a satisfação do menino com um objeto.

Esse menino busca um afeto de cabeceira.

Miriã Soares disse...

Gostei o texto, belíssima composição...da vontade continuar lendo mais...

risadass disse...

hummm tempo de infancia, saudades do tempo em que tudo era uma festa, tudo era brincadeira...

Suzy disse...

HIstória gostosde ler.
Eu também dormia com mues brinquedos=) Hoje durmo com algo(alguém)... nhaaa os tempos mudam;(

*nostalgia*

palavraacida disse...

Nossa tenho que confessar que faz tempo que não dou uma passada aqui. Também tempo me falta... mas o engraçado é que eu achava que isso aqui tinha meio que parado pois fazia um certo tempo que não visitava... mas continua tão bom quanto era.

Meg disse...

Hum...belíssimo texto...dá uma vontade de que continue e continue e continue...lembrou-me de longe um post em que digo que queria ser uma hiquitita...toda criança tem sonhos.. e os adultos?

beijos

Gerlaine disse...

Ahh, os tempos de criança, onde os brinquedos fazia tanta alegria...

Suzy disse...

Aham! Por isso que digo que tenho síndrome de Peter Pan. Esuqeci o que me disseram sobre o que é ser adulto(a), mas enfim, por mais que eu não querira uma parte do tempo me agarra.

Leandro Rocha disse...

Esse texto é de uma simplicidade e beleza que traduz exatamente o tema dele...
Quantos de nós já não viveram de alguma forma essa cena? Seja com um brinquedo caro ou aquele mais simples, o de última geração ou o feito em casa...
Mais do que o sentido material, cada brinquedo simboliza uma aventura, um mundo descoberto, uma estória a ser contada...
Quem dera conservássemos essas características enquanto crescemos!
Obrigado por essa lembrança tão bela!
Parabéns pelos textos.

Amisadai disse...

é falou "pouco " mas falou quase tudoo

valeu

http://cabruncoo.blogspot.com/

Levi Ventura disse...

Muito interessante o texto!
Pena que nem todas as pessoas conseguem preservar as coisas antigas quando se adquire uma nova.

Fabio Thiago disse...

esse texto é interessante nos mostra que sempre quando crianças ou não quase sempre nunca estamos satisfeitos com o que temos sempre q aparecem novidades deixamos as coisas velhas de lado mais a vida segue assim, todos nos já usamos o windows 98, mais já ta ultrapassado ñ é verdade!? então optamos pelo q é novo no caso o xp e o vista... mais isso ñ vem ao caso é a primeira vez que venho em seu blog gostei muito dele, muito bom o post!
bjs

мiмi ' disse...

Pena que nem todas as pessoas conseguem preservar as coisas antigas quando se adquire uma nova. [2]

Muito bonito o seu texto, me fez lembrar dos brinquedos que eu tinha.Quando eu era criança, não era muito apegada a bonecas e etc, eu gostava de brincar na rua mesmo...haha

beijos.

caixadevinis disse...

Me surpreendeu com o final.
Achei que fosse ir pro clichê, mas não foi.

Parabéns.

Damn

Juliano Jacob disse...

Pois é... A indústria do consumo é inevitável desde a infância... Seu texto é perfeito... Adorei o Blog... Vida inteligente na Web... Estarei por aqui sempre... Valeu...


www.gavetaoblog.blogspot.com

A'ZaF disse...

Não gostei :X cheguei no final do post e queria continuar lendo mas acabou... >.<

isso é injusto, agora vou ter que dormir porque já é tarde...será que eu posso dormir com esse post :? (huahau)

bjim moça

Samba da bola disse...

muito bom o texto mesmo
me surpreendi no final

Quer saber sobre futebol?
http://www.sambadabola.blogspot.com/

quer participar de uma gincana de blogs?
http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=58158330
entre e leia as regras e participee

Juliano Jacob disse...

Ah... Te adicionei na minha lista de Blogs...

Bruninho disse...

Agora eu fiquei com saudade da minha marreta do Chapolim Colorado... =[ [2]

KKKKKK


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
VISITE · WWW.XISDE-XD.COM
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Fernanda Santiago Valente disse...

Texto lindíssimo! Fez-me lembrar os tempos de criança e passar noite acordada olhando para eles era natural. Hoje, a ansiedade vem de outra maneira... rs. O casamento, o sucesso profissional...
a verdade é que estamos sempre ansiosos pelos presentes.

jcdigital disse...

Pow Ellen acho que sou muito burro, porque não entendi a moral da história.
=(
É mais ou menos lembrar da infância, de quando não queríamos largar nossos brinquedos?

Juliano Jacob disse...

Ellen, sem demagogia nenhuma, afirmo com toda certeza que seu fantástico Blog está à altura de qualquer Blog... Super criativo e profissional... Há quanto tempo que você escreve?...

Leo Pinheiro disse...

Que crônica fofa...

Criânças e crônicas (verídicas ou não) combinam muito.

Eu dei um sorriso qse tão grande quanto o do filho, qdo li seu texto.

Muitos outros Natais felizes para vc!

Beijo e...
Não suma do meu blog ;)

Dani Uzeda disse...

Nossa, normal, né? Criança abrir o presente, ficar toda contente, e cinco minutos depois voltar para brincar com aquela boneca velha do olho caído. Eu que sei o qto já desperdicei de dinheiro com minhas sobrinhas. E assim vai acontecendo sucessivamente. Já aconteceu comigo, provavelmente com meus pais... é a vida. Crianças são imprevisíveis.

Bju

Euzer Lopes disse...

Somente uma criança consegue, com sua pureza, ingenuidade e sinceridade, mostrar aos adultos que o espírito de Natal vai muito além de presentes.
E sim, do que eles representam.

Ananda disse...

é sempre assim, quando consiguimos o que queremos jogamos fora.
=D


http://opniaoinutil.blogspot.com/

Pelirroja disse...

Ah, que belo post. Bem leve e gostoso de se ler...;)

As crianças têm uma pureza, algo assim como o menino da sua história, que traz certa calmaria ao meu coração... Ainda mais em tempos tão loucos.... Quem diria que o menino trocaria o super-carrinho vermelho e todos seus brinquedos novos por tão pequenos Hot Wheels? Alguma criança te inspirou este post?

Parabéns e sucesso em 2009.
Vou te adicionar no meu blog.

Abraços!

Rafael Arruda disse...

hahaha, é assim mesmo!

I\I /\ I\I D 0 disse...

Tenho uma coisa a lhe dizer:
Seus textos são assombrosos...
Poucas vezes lembro de ter sentido um arrepio correr na espinha ao ler assim...
Devo lhe agradecer por ter me proporcionado isso!
Putz, sem palavras mesmo...
É uma grande artista ,sabia disso?

I\I /\ I\I D 0 disse...

Ah, voce leu?
Que bom, pois é a mais pura verdade...
Adoro a leitura e a escrita (apesar de não ter nem 0,01% de sua capacidade) e posso afirmar que seu talento é enorme...
Você tem livros publicados? Gostaria muito de ler uma obra sua.

Abraços...
=]

Adriana disse...

Crianças !!

Marcelo disse...

Criança é um barato. E efêmero é a palavras mais exata para se referir ao prazer deles. Acho que é porque diante de um mundo tão imenso de coisas para descobrir, a descoberta de uma é o prenúncio e promessa de milhares que virão.
Vivo uma descoberta de mundo a cada segundo com meu filho, ele tem 11 meses, coisas simples. Uma porta que abre, um CD que faz um clique quando abre e fecha, um pano de textura engraçada... ele me ensina a redescobrir um mundo a cada instante e enjoar dele, pois há mais para se explorar.
Dei a ele um bicho de brinquedo (Backyardigan, já ouviu falar), pois é.. primeiro ele ficou em êxtase, 2 minutos depois, a caixa de papel e plástico virou o centro de todas as atenções... Segui nas sensações dele e, sabe, deliciei-me com a caixa de papel e plástico. Na correria do dia-a-dia, aprendi que filhos nos ensinam a não andar com os pés no chão...
E como precisamos disso..
Belo texto, adorei.

Abraços, feliz 2009, Regina.

Marcelo

Guilherme Bandeira disse...

Seu post me fez lembrar que quando era pequeno, minha mãe não deixava eu levar brinquedo pra cama, mas claro que eu sempre conseguia levar...rs...ficava em baixo do cobertor com minha lanterna e viajando com meus bonecos, resultado, coleciono bonecos até hoje...rs...Não deixo morrer esse moleque que virava a noite brincando.

Feliz 2009!

www.olhaquemaneiro.com.br

Bru disse...

Que lindo seu blog!
Amei suas crônicas :) visitarei sempre.

Beijos :*

Fernanda disse...

Texto fofo. :-) Quando pequena, eu dormia com uns determinados bonequinhos que precisavam estar sempre na mesma posição. :-) Mas, como alguém já falou aí acima, não mudamos muito, não é? Não durmo mais com bonequinhos, mas mudar as coisas (e a vida) de posição ainda não é tão fácil... Beijos!

simple_chi! disse...

muito muito bom o texto!!! parabéns de verdade!!! gostei muito!!

Marcos Costa Melo disse...

Feliz ano novo para você também, Ellen! E espero cumprir a promessa de atualizar o blog...hehe...veremos que avaliação farei no final de 2009, quando abrir o envelope...

bj

danilo disse...

gostei muito do final beijos
feliz 2009

Homenzinho de Barba Mal feita disse...

Parabéns pela crônica!!!
Isso me fez lembra de uma palestra do consultor de empresa Valdez Ludwig. Na qual ele fala se quisermos saber sobre o futuro,basta olhar para as crianças. Hoje em dia a criança é multifuncional e extremamente dinâmica. O que ele deseja agora, não irá desejar no dia seguinte.
Nossos pais quando eram crianças, tinha um ou dois carrinho de madeira, que passava de irmão para irmão, conforme fosse crescendo. Bem diferente da realidade atual de nossas crianças...

Feliz 2009!!!

K.Rafael disse...

Aiaiaiai.


Crianças.

Quando crianças eu dormia com uns bonecos do Shurato.. ainda a algum tempo atrás eu os tinha, mas a idade vão avançando e temos que deixar essas coisas de criança pra trás.

Bruna disse...

faze uq neeh

criançaas...

Sejam bem-vindos ao facetas!

................TODOS OS TEXTOS DESSE BLOG SÃO AUTORAIS............

Resolvi utilizar este espaço para divulgação de trechos de alguns trabalhos meus... Espero que vocês apreciem. Críticas e comentários serão muito bem-vindos, sobretudo críticas!

Se você já leu o texto acima não fique tímido: fique à vontade para comentar em outras postagens!